Março de 2009 por Will Lukazi

''Já fui Caminho, já fui Paisagem e hoje eu sou Destino ''

Post 103

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011.


Existem laços que se estreitam e se aprofundam no quadrado da distância. A distância não tem nada a ver com o espaço físico que separa alguém de alguém, algo de algo. Tem a ver com um significado, que de tão profundo, costuma encostar na alma. Descobri que há fusões que separam, uniões que distanciam, comunhões que afastam, mas que há Distâncias que aproximam. Algumas distâncias parecem nos ensinar um amor diferente, um jeito diferente, enigmático e até gostoso de amar. Parecem chuva em solo infértil, parecem água em rio seco, parecem lagoas em que anjos nadam.  Sempre carreguei comigo esse pudor de invadir, esse medo do Perto, essa fobia mórbida da Aproximação e de arredores humanos. Sempre valorizei a distância como ângulo importante de minha vida. Já morri asfixiado por excesso de proximidade e já fui vítima de uma saudade que quase me matou. Tenho medo de estar perto. Coisas que cativam também são coisas traiçoeiras. Elas chegam, te conquistam e partem como se nunca tivessem vindo e eu sei como dói essa coisa. Essa coisa de querer estar perto, a alguns metros de certa pessoa mesmo que talvez não seja a pessoa certa. Às vezes partem sem terem culpa alguma, pois culpa é coisa que se divide ''uma pra mim outra pra você...uma pra mim outra pra você'' e assim vai, como comparsas dividindo a materialidade do crime, o produto de furto. Essa estória de partir já deve ter decidido vários destinos, rasgado vários sonhos e deve ter feito muita gente feliz também. Por que não ? Sim, tenho medo de estar perto.Tenho medo de um dia estar certo. Tenho medo que fique aqui comigo os restos imortais de quem penetrar em minha vida e deixá-la marcada a fogo, féu e beijo. Tenho medo das marcas indestrutíveis de alguma presença, da lembrança de alguém no meu dia-a-dia. Essa coisa de estar perto, me desculpem, é o diabo. Costuma o peito queimar, sentir tonturas, faltar o ar e palavras: coincidência ou não os mesmos sintomas de um infarto fulminante (aquela coisinha que dá no coração). Se o Perto é o princípio da Distância, se a infância da lágrima veste este tecido então prefiro que deixem-me aqui à meia altura nessa meia-luz de espírito, mas que me ilumina o quanto quero. Eu prefiro a Distância e o Longe que me inundam de saudades a ter que conviver com o Perto temendo todos os dias que se transforme em Longe. Eu não quero levantar aqui nenhuma bandeira, eu não sou mastro. Mas existem laços que se aprofundam e e se estreitam no quadrado da distância. E foi exatamente isso o que eu disse lá no início.

16 Comentários:

Zélia Gadelha disse...

Sentir a ausência de uma presença tambem me faz feliz! Já disse Rubem Alves: "A saudade é a presença de uma ausência" (Rubem Alves)

Adorei o seu blog! Bjusss

DRYELE disse...

nossa esse post ta perfeito demais
parace q foi feito pra mim
e quando diz:Ja morri asfixiado por escesso de proximidade e ja fui vitima da saudade. caramba disse tudo
adorei sempre supriendendo com seus posts
beijos
otima semana
:)

andryelle.blogspot.com

Ligia Barbosa disse...

Uau!Lindo, lindo, lindo demaais!
Há distancias que aproximam, há espaços que estreitam, mas há algumas que são pra sempre, e essas doem muito, a saudade aperta e você sabe que aquela pessoa não vai mais, amanhã ou na semana que vem, matar essa saudade. Nos resta então, seguir em frente e sorrir, rezando pra que a dor passe.

DÉIA disse...

Não sei se seus textos são um poema ou se seus poemas são textos. Amo teu estilo inconfundível. Linda mensagem.
bejim

sabrina disse...

Um texto maravilhoso sobre a distância e a proximidade.Vc consegue nos mostrar aquilo q está diante de nossos olhos e não enxergamos.É verdade,há laços q se estreitam e se aprofundam no quadrado da distancia ao mesmo tempo em q há proximidades que separam.Lindo demais este post Parabéns um abraço

Will Lukazi disse...

Obrigado pelas palavras zélia e por dividir conosco o retalho de Rubem Alves . Espero que volte sempre por aqui. seja sempre bem-vinda.

Will Lukazi disse...

oi menina dry...

essa matéria saudade sempre toca a gente, afinal somos feito um pouco ( ou muito ) disso tbm...

brigadão pelo coment, minha amiga
uma otima semana pra vc tbm


grande bj

Will Lukazi disse...

oi ligia...
com certeza qdo a saudade é de uma pessoa que a gente sabe que não volta mais aí é bem mais difÍCIL EXPLICARMOS ISTO PRO NOSSO PEITO.
Vc bem disse ( inclusive no seu post atual) o negócio é levantar a cabeça e bola pra frente.

Obrigado pelo elogio , minha amiga e parabéns pelo novo modelo do teu blog...ficou muito bom....bj e volte sempre tá bom....


ótima semana

Will Lukazi disse...

obrigado Déia pelos elogios...

acho que são de tudo um pouco, inclusive às vezes são nada também...rsrsr...valeu


bj

Will Lukazi disse...

hay sabrina...

que bom que tenha gostado do post. obrigado pelo coment e pelos elogios.
espero poder ocntar sempre com tua presença por aqui com ou sem coment...rsr.....bj e otima semana..

Van disse...

Ei...passei aqui e não pude deixar de notar esse belo texto ! Impecável como sempre...Mas vou te confessar , já fui bem mais nesse negócio de curtir uma platonice, uma boa distância...até gosto às vezes, mas esse meu lado marruá não me tem permitido ser muito assim, não e, mesmo quebrando a cara vou e me aproximo, me entrego mesmo , quer seja no quesito amizade ou amor.

Decepções sempre existirão porque as pessoas são humanas e têm por hábito nos ferirem, mais cedo ou mais tarde, mas enquanto não ferem, prefiro as ter bem mais perto de mim, do meu jeito...

Ahhhh...queria estar aqui tão mais perto sempre ! Como faz falta todo esse canto e esse contato com meu anjo ! Segura minha mão, Will, hoje, bem forte, vou precisar...chegou a hora de eu encarar uma verdade daquelas de que eu não posso fugir porque não sou mais uma mocinha sonhadora de 20 anos...preciso enfrentar e dizer a que eu vim e preciso também saber se estou diante do meu algoz ou do meu motivo real de vida neste momento...tudo se encaminha com a graça de Deus e na sua porteção. Grande Beijo.

Will Lukazi disse...

Seja novamente bem-vinda, Van ! Como é bom tê-la e recebê-la por aqui novamente !
Bem, seu espírito marruá tamanho GG realmente não permite essas minhas extravagâncias tipo meu medinho de longe ou do perto...gusahahsausaha...
( ô saudade dessa minha onça , viu...eu semprei tomei conta dela, mas ela havia fugido, fiquei com medo dela nesse meio tempo ter devorado alguém...ou a si mesma...rssr)
Segurarei firme tua mão, é só fechar os olhos qdo chegar o momento e vai ter certeza disso minha grande amiga. Lembrando que as vezes Deus nos ensina uma grande liçao nos dando exatamente aquilo que mais desejamos, então não se impressione muito com o resultado final após ficar olho no olho do algoz.

bjuuss.

Van disse...

Ai ai, Will , Will querido e amigo amado de sempre. Se não fosse você ontem uma certa onça teria urrado com força !

Você acredita que nem na acareação o algoz se manifestou ? Entrou mudo e saiu calado e me deixou plantada sem saber a resposta à minha pergunta de novo !

Mas com onça não se brinca mesmo e ele está brincando de cutucar a onça com vara curta...não sabe com que espécie de bicho está lidando.

Mas eu nem sei mais se quero mesmo saber essa resposta que ele tem tanto medo de me dar... Que medo é esse ? Medo de me machucar não é, porque já disse que me machuca mais o silêncio de não saber do que a resposta, seja qual for...

Acho que hoje vou dar continuidade ao conto da Onça e da Rocha...BJS e obrigadíssima por estar comigo sempre !

Will Lukazi disse...

Olá Van ! Td bem contigo ?

Menina, me conta esta estória. vc ta doida é? kkkkkkkkk...


Essa rocha deve ta com medo de levar unhada.....kkkkk...( desculpa Van)

A ONÇA E A ROCHA II - A MISSÃO CONTINUA MAIS FORTE AINDA.....rsrr


Super Beijo !

Anônimo disse...

Sempre morri várias vezes por proximidade e por distância, por consequência, saudades.
Sou muito intenso em tudo que vivo e viver pessoas é minha maior fraqueza, está distante delas também.
Mas não culpo quando partem, mas sofro como perda de morte até que meu coração se acostume. Olha que demora.

Com certeza existem laços que estreitam e se aprofundam no quadrado da distância. E é uma forma de milagre.
Amei este post.
Um abraço amigo

Will Lukazi disse...

Olá amigo anônimo !Td bem contigo ?

Realmente as pessoas mais intensas costumam sentir tanto a ausência como a presença daqueles que as marcam profundamente.Às vezes nossa maior fraqueza se torna nossa maior virtude:acho que é seu caso.
Não é a toa que o coração bate um monte de vezes por minuto, é um verdadeiro saco de pancadas mesmo...rsrrsrsr....

Encarar como milagre os mistérios do perto e do longe é no mínimo uma forma poética de se seguir em frente.

Super Abraço !

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Baixar Sertanejo - Templates Grátis