Março de 2009 por Will Lukazi

''Já fui Caminho, já fui Paisagem e hoje eu sou Destino ''

Este Blog é Membro da...

Post 156

segunda-feira, 17 de outubro de 2011.


                                                                              
                                                                            


Minha mãe guardava meus ‘restos mortais’ dentro de um baú. Todas as minhas coisas e parafernálias antigas de quando eu era o que eu havia sido estavam ali naquele interior lacrado de madeira, recordações e mofo. 
E naquele medo danado de olhar aquilo tudo, meu Deus, a saudade e o masoquismo falaram mais alto. Bem feito!

Em seu interior, remotas cartas de amor me xingavam impiedosamente de ridículo. Parecia que eu podia ouvir o Poeta Álvaro Campos debochando de mim em longas e audíveis gargalhadas a ressoar pela casa inteira. Mergulhado por debaixo de um monte de poeira e livros encontrei meu velho par de tênis que me dizia em silêncio que meu Amor era como ele: antigo, rasgado, castigado pelo tempo, mas com um laço ainda bem apertado.  Aquele par de tênis antigo me dizia claramente que eu não era ridículo__era assim que eu entendia. Álvaro Campos já não gargalhava tanto depois que viu aquele calçado torto e encardido me dando uma força frente às lembranças as quais me submetia. 

Calcei-os muito mansamente, etapa por etapa, do encaixe ao cadarço, nada podia sair errado naquele momento. Pronto! Estavam em meus pés novamente depois de infinitos anos. Ainda me serviam. Ainda me entendiam. Ainda sabiam...
Fui então me abaixando até me sentar na grama, onde fiquei durante algum tempo olhando-os de cima, fitando-os de tal modo que tudo que estava ao seu redor ia se desfocando, se embaçando e perdendo as cores e a importância. Era eu e o tênis pondo o papo em dia e ninguém mais era bem-vindo ali numa conversa entre seres feitos de distâncias.

Era eu assistindo um episódio romântico e antigo de minha vida. Cismei que valia à pena vê-lo de novo. Aproveitei para retornar a lugares que um dia me haviam sido loucos caminhos. Não era mera coincidência, minha vida um dia se pareceu realmente com uma novela em horário quase nobre, com roteiro levemente mexicano, mas com muito, mas muito I.B.O.P.E. E o sorriso matreiro que dei em seguida era sinal de que eu não me arrependia de ter ido fundo até o último dos capítulos.

Aquele dia estava muito bonito. Não havia motivo para se ficar triste. Desfrute o Sol__me disse o tênis__ e sorria hoje de tudo isso. Conselho de um tênis amigo.


Ridículo é quem não se lembra, por não ter tido, um momento desse pra se lembrar um dia.





16 Comentários:

Van disse...

Um tênis simboliza nossa caminhada, guarda a forma dos nosso pés, e as marcas que os nossos passos provocaram na sola, guarda silente todos os lugares por onde passamos e encondem na trama do tecido alguns dos sonhos que sonhamos.

Ruim é não ter um tênis desse pra conversar, pra lembrar tudo que vivemos na caminhada.

Grande Will, super beijos pra você!

Anônimo disse...

Will...
Sempre adorei meus tênis velhos. E estou olhando meu agora com a sola ja furada.rs
Eu tinha um que até tirei foto dele. E não é que fez o maior sucesso!(rs)Até coloquei na moldura e tudo. Mas num dia desses que vc precisa explodir alguma coisa. Quebrei a moldura e guardei a foto, agora arranhada pelos estilhaços de vidro.
Mas o maior momento que vivi com um dos meus velhos tênis, foi quando não conseguia nem amarrá-los . Chorei com eles. Porque não conseguia calçá-los sozinhas. E olha que eu nao era criança. Eu já tinha 33.
Mas tudo tem seu tempo. Pode imaginar minha alegria um bom tempo depois que conseguia calçá-los, acariciá-los. E recomçar a andar, desajeitada, devagar... Ele ali fiel, com um sorriso de felicidade. Abraçando meus pés com todo carinho e tão forte que eu podia sentir o calor.
Realmente, felizes somos nós que temos um amigo como esse pela vida fora...
aquele que brinca com você na chuva, se lambuza de barro, fica amarelo de poeira, ou simplismente fica nos pés de sua cama esperando por você.

Um abraço amigo!

Obrigada pelo e-mail e ademonstração de carinho e amizade de sempre!
R

Claudio Poeta disse...

Will, que delícia de leitura! - Parabéns, viu?! - Abração

Zélia Gadelha disse...

Nossa mais uma vez você surpreende com essa crônica poética! O simbolismo representado pelo tênis me fez pensar as relações, que mesmo com desgaste, desbotamento, tentamos manter os laços apertados e as pisadas fortes pra poder seguir firme esse "caminho".

Bjusss

Zélia Gadelha disse...

E eu acrescento a esse comentário uma citação do Rubem Alves que diz bem o que sinto quando passo aqui pra te ler: “Você já experimentou ficar boiando no mar? O corpo todo solto, sem fazer nada, nenhum movimento, subindo e descendo ao sabor das ondas? Pois é assim que se lê poesia: flutuando ao sabor das palavras, sem pressa, em voz alta, poesia é música.”
Bjusss

Will Lukazi disse...

Olá Van! Tudo bem contigo?

A quantos lugares inexplorados nos levaram estas criaturas, não é mesmo, amiga Van?
Teus olhos poéticos captaram o invisível, poetisa, e me transportou a outras dimensões também possível.

É sempre uma delícia tê-la aqui.Você sempre me deixa em RETALHOS...

Super e Carinhoso Beijo....Saudadesssss....

Will Lukazi disse...

Olá amiga Anônima R! Tudo bem contigo?

Certamente você tem muito que nos ensinar com tuas experiências e momentos marcados por coragem e perseverança, minha amiga.

Essa postagem me fez um bem danado, principalmente quando vejo que todos em seus comentários complementam outros sentimentos mútuos que poderiam compartilhar com aquele antigo par de tênis.
A análise referente que fez ao tênis é perfeita ao meu modo de ver...sublimamente perfeita..

Obrigado por nós presentear sempre com tua sensibilidade e fibra.

Um Super e Carinhoso Beijo em teu Espírito.

Will Lukazi disse...

Olá Cláudio! Tudo bem contigo?

Obrigado e fico feliz que tenha gostado, meu amigo. Espero que tenha sido o suficiente para que retorne e nos agracie novamente com tua presença.

Um Super Abraço!

Will Lukazi disse...

Olá amiga Zélia Gadelha! Tudo bem contigo?

Como você bem disse, são muitas as metáforas em relação ao tênis antigos e diversas situações do cotidiano. Citou algumas com grande sensibilidade, minha amiga. Daria uma outra postagem com as novas possibilidades.

Há laços que precisam se manter bem apertados nessa nossa vida.

Obrigado pelas palavras mais uma vez.

Um Super Beijo!

Will Lukazi disse...

Bem, minha amiga Zélia...
...a este teu comentário se utilizando de uma citação do grande Rubem Alves eu não tenho palavras.
O que posso e consigo dizer é que pessoas como você é que dão vida, brilho e sentido a um trabalho no qual dedicamos tanto carinho e atenção.

Meu muito obrigado do fundo de meu coração, Zélia.

KOISAKIMARKA disse...

Adorei a publicação, e fiquei apaixonada pelo blog, está um verdadeiro show de beleza!!
Parabéns pelo design, postagens, imagens, fomatação, edição e tudo mais!!
Beijos e Sucesso Sempre!!
MARTA GOUVÊA
KOISAKIMARKA INESQUECÍVEL
MARTHA LOVE ELVIS

Will Lukazi disse...

Olá 'Coisinha'...rsrsrsr! Tudo bem contigo?

Fico muito, mas muito feliz mesmo que tenha gostado desse nosso cantinho.
Sempre tento aperfeiçoar para que se torne melhor aos que aqui frequentam. Saiba que aceito sugestões, viu....rsrsr..

Agradeço pela presença, por estar seguindo e pelo comentário. Seja sempre bem-vinda...

Um Super Beijo!

Angel disse...

Fantàstico Super Will!

um anjo

Will Lukazi disse...

Olá Angel! Tudo bem contigo?

Obrigado, super anjinho...rsrsrs....

Ouvi o bater de suas asas e vim....


Super Beijo!

Van disse...

O tênis imprime nosso passo e nosso passo desenha a caminhada de toda uma vida. O tênis pode ser velho , mas tem memória daqulo que vivemos , do que ficou impregnado pela alma com os passos , quer tenham sido rápidos , quer tenham sido mais lentos , apenas com o vagar da vida por eles , em silêncio.
Os pés nos guiam pelo caminho e os tênis nos protegem e guardam o pedaço material dos restos da estrada que passou por nós , que os olhos viram , os braços acolheram e o coração guardou.
Que vida linda trago em meu tênis !

Grande Beijo !

www.meusescritoseooutraspalavras.blogspot.com

Will Lukazi disse...

Olá Van( Meus escritos )! Tudo bem contigo?

Exatamente estas metáforas é que regem todo este post, van: a caminhada, o trajeto pela vida, os passos, os tombos com seus tropeços, as escolhas...a direção.

Que Deus abençõe a vida que você trouxe por debaixo de teu tênis, van. Você é sensacional!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Baixar Sertanejo - Templates Grátis