Março de 2009 por Will Lukazi

''Já fui Caminho, já fui Paisagem e hoje eu sou Destino ''

Post 169

sábado, 21 de julho de 2012.










Mãos nos bolsos e com passos de criança. O calçamento é recém colocado e ainda há uma certa quantidade de areia espalhada propositalmente sobre os blocos encaixados de forma minuciosa uns nos outros. Ao caminhar sobre eles consigo sentir a aspereza que incomoda, mas que me lembra do cuidado que devo ter para se evitar uma queda traiçoeira que mande por água abaixo toda aquela minha concentração instintiva e o plano que tenho de andar um pouco ao ar livre. A cidade é pequena, a época é de festas Julinas e parece haver nas ruas um clima receptivo, alegre, sem deixar de ser sistemático e convicto de suas próprias regras de cidade pequena__ há de se respeitar isso. O povo interiorano me olha com certa curiosidade e talvez se pergunte que raios de pensamentos faz um homem caminhar daquele jeito tão sem piscar, tão sem lugar e com um pedaço de sorriso preso no canto da boca. Não conto as ruas, não conto os carros e nem quanto tempo vago por entre aquelas pessoas simpáticas e acolhedoras. As mãos ainda estão no bolso como se quisessem servir de placa indicando que meu espírito se encontra ''OCUPADO''. Os olhos continuam os mesmos, mesmo o olhar tendo fugido para algum lugar distante e não me pergunte aonde__ vai que eu digo. A postura de meu corpo responderia a várias perguntas de Psicólogos famintos em comportamentos humanos estranhos, sutis e atípicos. Num dado momento eu penso que todos me olham para num outro minuto achar que carrego comigo o dom da invisibilidade__ um mutante perdido. As ruas são longas e se ajustam perfeitamente aos meus sonhos e às minhas teorias psíquicas e pseudamente comprovadas. Em minhas roupas trago o formato que me cabe, que me coube, que se adequou em mim: visto preto, cor predileta desde sempre. De repente eu penso que eu poderia ir para casa ler um livro e me entregar à preguiça que se exala do sofá ou do aconchego da cama em que finjo durante à noite que durmo, contudo quanto mais eu leio mais me aprofundo em mim mesmo...eu tenho medo: escolho pela minha permanência na rua.
O tempo passa e não percebo, mas já se foi o sol, deixando-me à mercê de mais vultos e sombras do que já estou acostumado a lidar no dia-a-dia. Então retorno para casa sem ter chegado a conclusão alguma__ eu já esperava por isso.


Eu só queria naquele instante livre-arbítrio para seguir num terceiro caminho ou a genialidade divina para se criar ou inventar um, deixando para trás caminhos tais como o bem e o mal, esses dois incompetentes de uma figa.




17 Comentários:

Sulamita Ferreira Teixeira disse...

Lindo!

Neuza Rodrigues Ferreira disse...

Adorei meu amigo Will Lukazi,abraço.

Rosa Mattos disse...

Achei superbacana teu texto. Assim, como quem não quer nada, querendo algo, sai à procura de algo que nem sabe exatamente qual seja e volta do mesmo jeito que sempre foi - um andarilho sedento no deserto da vida.

Alguns costumam ter epifanias, algo parecido com lampejos inéditos visto por quem fez o caminho de Santiago. Mas...na maioria das vezes...o caminho é apenas o caminho, com o ecoar dos nossos passos.

Adorei, Will. hehe

Eu jurava que tava seguindo teu blog e descobri que não, mas já estou corrigido esse deslize.

abração/!!bom te ver no face..:)

Van disse...

Ahhhhhh que delícia é voltar aqui nesse lugar tão caminhado ! E ver que a inspiração e o texto continuam irretocáveis como sempre !

Dos caminhos dessa vida ! A vida nos dá a oportunidade de tantos caminhos, querido Will. O problema é que por querermos que as coisas sejam simples e fáceis demais, nos apegamos a apenas duas portas que direcionam aos caminhos. A terceira sempre está ali, oculta, até empoeirada devido a nossa falta de opção por ela. Mas ela existe, sim! E sempre há um caminho certo para nós, que nos leva a felicidade !

E eu feliz fiquei foi de voltar aqui... Que eu não perca nunca mais esse caminho ! LoveU !!

Super beeeeeeijooo

www.meusescritoseoutraspalavras.blogspot.com ( pra vc não esquecer o caminho que leva até mim... rssss)

DÉIA disse...

Gostei muito do teu texto princialmente desse trecho aqui...

O tempo passa e não percebo, mas já se foi o sol, deixando-me à mercê de mais vultos e sombras do que já estou acostumado a lidar no dia-a-dia. Então retorno para casa sem ter chegado a conclusão alguma__ eu já esperava por isso....

Querendo algo que ainda não tem tenta conseguir mas alguma coisa impede de buscar foi isso que,entende desse texto...Muito bom Parabéns...Bjus

Will Lukazi disse...

Olá Sulamita! Tudo bem contigo?

Muito obrigado por ter vindo! Agradeço também pelo elogio e fico feliz que tenha gostado.Volte sempre!

Um Super Abraço!

Will Lukazi disse...

Olá Neuza! Tudo bem contigo?

Que bom que gostou, minha amiga. Volte sempre que quiser, tá bom.

Um Super e Carinhoso abraço!

Will Lukazi disse...

Olá Rosa! Tudo bem contigo?

Como é bom ver suas palavras e sentir que também mergulhou fundo no texto!!!! É verdade, às vezes saimos sem destino em busca de respostas e voltamos com mais perguntas. Li algo sobre o Caminho de Santiago e achei muito interessante, certa vez. Aliás sempre gostei de textos que nos fazem mergulhar em nós mesmos...acho isso fantástico.

Felicíssimo por ter gostado e aproveito para lhe convidar, Rosa, a visitar novamente aqui numa outra oportunidade.
Obrigado por estar seguindo esse pedacinho de chão aqui....rssrsr


Um Super Abraço e tudo de bom.

Will Lukazi disse...

Olá Van! Tudo bem contigo?

Seu retorno é muito bem-vindo, minha grande amiga Vanessa. Aqui mais um texto desse seu amigo que vive em busca de respostas e que pelos caminhos percorridos colhe mais e mais perguntas num espiral sem fim.

Ainda descubro esse caminho... se Deus quiser.

Obrigado pelo retorno...será sempre uma honra recebê-la.

Um Super Beijo, minha amiga.

Will Lukazi disse...

Olá Déia! Tudo bem contigo?

De certa forma é isso mesmo que eu quis dizer: uma eterna busca sem resposta talvez por perguntarmos demais.

Obrigado pelo comentário, tá bom. Volte sempre.

Um grande beijo!

♥♥♥Ani♥♥♥ disse...

Um lindo final de semana pra você.



Beijos


Ani


http://cristalssp.blogspot.com

Zélia Gadelha disse...

Oi amigo Will1!

Como diz o poeta "quem tem alma não tem calma" Entendo perfeitamente você!
Quantas vezes ao tentar fazer esse caminho despropositadamente, ao tentar me encontrar, volto estranhando-me cada vez mais.

Ler pra mim é uma terapia e quando encontro um texto que me identifico, eu me perco, e não quero encontrar o caminho de volta. rsrs

Bjusss

Ps. Feliz dia dos Pais Will!

Will Lukazi disse...

Olá Ani! Tudo bem contigo?

Obrigado, minha amiga! Ótimo fim de semana pra você também e valeu pela presença aqui. Volte sempre!

Will Lukazi disse...

Olá Zélia! Tudo bem contigo?

Pois é, amiga Zélia. Fico me perguntando se dias destes não volto pra casa como se fosse um total estranho__ mais parecendo vítima de um alzheimer espiritual.

E você tá mais que certa quando diz que Às vezes a gente sequer quer se encontrar. Pra que? Pra vermos que estamos perdidos?

Valeu a presença e o comentário, amiga....volte sempre e sempre.

Super Beijo!

Will Lukazi disse...

Olá Zélia! Tudo bem contigo?

Pois é, amiga Zélia. Fico me perguntando se dias destes não volto pra casa como se fosse um total estranho__ mais parecendo vítima de um alzheimer espiritual.

E você tá mais que certa quando diz que Às vezes a gente sequer quer se encontrar. Pra que? Pra vermos que estamos perdidos?

Valeu a presença e o comentário, amiga....volte sempre e sempre.

Super Beijo!

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Estive lendo alguns de seus textos.Parabéns, pois são excelentes.Demorei para voltar aqui,mas cheguei.Beijos!

Leandro Lemos disse...

Meu nobre amigo Wilder Costa, mais conhecido por SOLDADO UNIVERSAL, parabéns por este post. O texto ficou lindo! É muito bom ter você como amigo e poder desfrutar de linhas tão bem escritas. Abraços do seu amigo, Leandro (CTSP 2002)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Baixar Sertanejo - Templates Grátis